O corpo da Adele

3

Adele sentiu-se péssima porque alguns fãs a acusaram de ter emagrecido. Mas não se ficaram por aqui. A ideia é que emagreceu porque se “rendeu aos padrões de beleza”. 

Pronto, e aqui temos a notícia. Assim, a seco, parece uma futilidade. Ora… mas olha que não…. Olha que não….  Aliás, esta noticia permite-me falar, ou melhor, escrever, sobre coisas… beleza, por exemplo. Padrões de beleza, burros, velhos e coisas do género.

“Andar magra”, na minha aldeia, era tido como sinónimo de pouca saúde, mas, acima de tudo, de maus tratos do marido. Sim, outra vez o raio do tema…

Se não engordasse depois das colheitas era certo e sabido que o homem lhe “chegava a roupa ao pelo”. Se, depois das colheitas engordava, era apenas excesso de trabalho e todos paravam o falatório.

Ora, a Adele não trabalha no campo de sol a sol, não trabalha nas colheitas nem, ao que se sabe, sofre de maus tratos conjugais. Seria um enigma na minha aldeia!

Numa das ultimas vezes que alguém me fez um elogio lá, foi tipo “andas gorda, a vida está-te a correr bem!”

Sim, podes rir às gargalhadas, daquelas estridentes, e podes brincar com a situação sem problemas. Eu aguento!

Não adianta explicar coisa nenhuma porque é assim e pronto!

Na verdade, existem alguns seres, chamados humanos, que criticam negativamente a parte estética porque existe ou porque não existe. Se gordo, tem excesso. Se magro, tem carência. E nunca nada está bem como na história do burro, do menino e do velho.

Uma gorda tem de permanecer gorda. E tem de ser assim para mostrar que é imune às críticas e superior aos padrões de beleza instituídos pela filha da mãe da sociedade.

Ou, então, uma gorda tem de emagrecer porque não se enquadra nos padrões de beleza da filha da mãe da sociedade.

E se até eu já estou cansada de falar de gordas, imagino o quão tu estejas cansada de ler gorduras. Por isso falemos de magras! Sim porque também as há. E também há aquelas que estão bem, isto é, se fosse meio quilo a mais estariam perfeitas. Ou bastava meio quilito a menos e ficavam um assombro.

Portanto aqui vai uma sugestão – coloca uma balança no teu quarto, na cozinha, na sala, no escritório. No carro não dá muito jeito mas podes coloca-la na bagageira e pesares-te antes de entrares no carro e depois de saires do carro. Vais perceber que é fantástico para afinares o meio quilito.

Ou podes rir com esta palermice e decidires o que queres fazer da tua vida, do teu peso, do teu emagrecimento. Da tua engorda e de todo o teu processo. Podes parar de querer ser como a Adele gorda ou como a versão magra da Adele.

Esquece lá isso e vai à tua vida. Achas que tens excesso de peso e sentes-te mal com isso? Faz alguma coisa para mudar. Pede ajuda se não consegues fazer isso sozinha. Mas acima de tudo ama o teu corpo exatamente como ele é. Quando o aceitas e o mimas começas a mudar.

Tens peso a menos e sentes que devias ter mais? Se não estás nas colheitas e o teu marido não te chega a roupa ao pelo, faz alguma coisa para mudar. Pede ajuda se não fores capaz sozinha, mas, acima de tudo, ama o teu corpo exatamente como ele é. Quando o aceitas e o mimas começas a mudar.

Foca-te em ti e para com a patetice das opiniões dos outros que nada sabem da tua vida!

Queres partilhar o teu peso? As tuas medidas? As tuas opiniões? Aqui podes fazer isso tudo!

https://sol.sapo.pt/artigo/775827/adele-admite-que-se-sentiu-pessima-depois-de-fas-se-sentirem-traidos-pelo-seu-emagrecimento-?n=1

Posts Relacionados

Deixe um comentário

Um pouco do meu blog

meninos e meninas ou músculos e candura?